TRIUNFO DA FAMA

Análise: só popularidade explica 5 prêmios para Jennifer Coolidge por The White Lotus

Pelo papel de Tanya, atriz perdeu apenas duas vezes em premiações de ponta
DIVULGAÇÃO/HBO
Jennifer Coolidge na 2ª temporada de The White Lotus
Jennifer Coolidge na 2ª temporada de The White Lotus

Queridinha em Hollywood, Jennifer Coolidge venceu mais um prêmio por The White Lotus. Ela ganhou a categoria de melhor performance de uma atriz em série de drama na 29ª edição do SAG Awards, o prêmio do sindicato dos atores. É a quinta conquista dela, em sete disputas, pela atração da HBO, seja concorrendo nas categorias de drama ou minissérie nas principais premiações. Com muito menos talento do que as concorrentes, Jennifer alcançou tanto prestígio assim apenas por causa da popularidade.

A cerimônia deste ano do SAG Awards exemplifica isso. Em uma análise criteriosa e técnica, Jennifer Coolidge não entregou uma atuação melhor do que, pelo menos, três de suas quatro concorrentes: Zendaya por Euphoria, Elizabeth Debicki por The Crown e Julia Garner por Ozark. Mesmo assim, ela ficou com o troféu de melhor atriz de drama na premiação cujos próprios atores hollywoodianos organizam e votam. A popularidade sobrepôs a qualidade na frente das câmeras.

Na pele da insegura ricaça Tanya McQuoid em The White Lotus, Jennifer Coolidge é engraçada. Ela diverte a plateia na pele de uma personagem perturbada, neurótica e ingênua, gerando ótimos memes. A atriz merece destaque por ser tudo isso sim e mais um pouco. Agora, não tem talento para ganhar prêmios superando grandes profissionais em papéis mais desafiadores.

Jennifer Coolidge no SAG Awards de 2023
Jennifer Coolidge no SAG Awards de 2023

No Emmy do ano passado, por exemplo, Jennifer arrebatou a categoria melhor atriz coadjuvante de minissérie derrotando Kaitlyn Dever, que deu o sangue na pele de uma viciada em opioides no drama Dopesick.

Já no Globo de Ouro deste ano, também como atriz coadjuvante de minissérie, a vitória foi sobre Daisy Edgar-Jones (Em Nome do Céu) e Niecy Nash (Dahmer: Um Canibal Americano), ambas com atuações espetaculares e exigentes pelo nível de dramaticidade. Daisy encarnou uma vítima de um movimento religioso fanático; Niecy foi vizinha de um serial killer.

E no Critics Choice recente, agora na briga entre as atrizes de drama, ela derrotou nomes do nível de Julia Garner (Ozark) e, principalmente, Rhea Seehorn (Better Call Saul). 

Julia vinha de duas conquistas, no Globo de Ouro e Emmy, se consolidando como nome da mais alta prateleira em Hollywood. E Rhea, apesar da performance brilhante na última temporada do spin-off de Breaking Bad, foi esnobada, uma das atrizes mais injustiçadas no circuito de premiações nos últimos tempos.

As únicas duas derrotas de Jennifer Coolidge no papel de Tanya foram para Sarah Snook, de Succession (Globo de Ouro, 2022) e para Kate Winslet, de Mare of Easttown (SAG, 2022).

Mais um Emmy vem pela frente. Vai ser curioso esperar os resultados, pois The White Lotus terá de se inscrever nas categorias de drama. Se for usado o critério de popularidade, ainda mais após esse retrospecto de vitórias, Jennifer Coolidge é a favorita. Mas se for levado em conta o talento demonstrado em cena, ela vira zebra.


Acompanhe o Diário de Séries no Google Notícias.

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!