OPINIÃO

Série da Netflix erra por não cortar morte parecida com a de Marília Mendonça

Não faltou tempo para editar cenas e regravar parte da trama
REPRODUÇÃO/NETFLIX
A atriz Lucy Alves em Só Se For Por Amor
A atriz Lucy Alves em Só Se For Por Amor

Chega a ser inacreditável o erro crasso que a Netflix cometeu na série Só Se For Por Amor, lançada na última quarta-feira (21). No primeiro episódio da trama sertaneja é retratada a morte de um personagem muito parecida com a tragédia que vitimou a cantora Marília Mendonça (1995-2021). Dadas todas as circunstâncias, esse evento deveria ter sido retirado da história. O resultado final causou um dissabor.

[Atenção: spoilers a seguir]
Só Se For Por Amor apresenta Daniel Soh (Raphael Vianna) como um cantor sertanejo de enorme sucesso no Brasil, um dos artistas mais escutados no país, daquele de ter as canções no topo das paradas musicais e lotar estádios em shows.

Ele está para fazer uma apresentação em Goiânia, em uma arena. Indo de Brasília para a capital de Goiás, o jatinho particular do cantor sofre um acidente. Todos à bordo morreram. Os fãs que estavam presentes no show, esperando o cantor, souberam da notícia pelas redes sociais.

A série mostra que a morte de Daniel Soh, no auge da carreira, comoveu o Brasil, deixando todos atônitos. É uma encenação muito similar ao que ocorreu com Marília Mendonça. Não caiu bem essa coincidência infeliz, já que a série foi gravada antes do acidente que tirou a vida da rainha da sofrência.

Pela forma como a narrativa foi construída, o tipo de morte de Daniel Soh deveria ter sido editado, dava tranquilamente para fazer isso. Só Se For Por Amor poderia manter o tal acidente trágico, entretanto de outra forma, e prestar homenagem à Marília Mendonça sem essa morbidez.

Em 4 de novembro de 2021, a Netflix anunciou que Só Se For Por Amor estava na reta final da produção. No dia seguinte, Marília Mendonça morreu. A gigante do streaming tinha que fazer mais do que adiar o lançamento da atração.

Havia tempo mais do que suficiente para editar essa parte da história e regravar cenas. E, de quebra, a homenagem à Marília Mendonça seria ideal se fosse toda focada na personagem Deusa (Lucy Alves), jovem cantora em busca de um espaço na música sertaneja. Todo o esforço para tanto valeria a pena. Esses ajustes tinham de ser feitos.

Só Se For Por Amor é curta, composta de seis episódios. A tragédia de Daniel Soh não é crucial para a trama. Faltou sensibilidade de todos, de produtores da série a executivos da Netflix, para melhor avaliar a situação e apagar essa triste coincidência, que agora está eternizada.

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!