EM PRODUÇÃO

Atrizes de The Walking Dead e GoT reforçam elenco de Ruptura na 2ª temporada

Drama formidável do Apple TV+ contratou outros seis atores para a próxima leva de episódios
DIVULGAÇÃO/AMC/HBO
Merritt Wever em The Walking Dead; Gwendoline Christie em Game of Thrones
Merritt Wever em The Walking Dead; Gwendoline Christie em Game of Thrones

A produção da segunda temporada de Ruptura começou trazendo novidades. O elenco do aclamado drama do Apple TV+ ganhou o reforço de oito atores para a nova leva de episódios, incluindo nomes gabaritados como a vencedora do Emmy Merritt Wever (The Walking Dead) e Gwendoline Christie (Game of Thrones). Detalhes das personagens estão guardados em segredo, por enquanto.

Merrit Wever retorna ao mundo das séries quase três anos após o cancelamento de Run, comédia da HBO que estrelou ao lado de Domhnall Gleeson e foi cancelada após uma única temporada. Antes, ela fez a bem-sucedida minissérie Inacreditável, da Netflix, pela qual recebeu chuva de elogios. 

A atriz ganhou o Oscar da TV duas vezes: melhor atriz coadjuvante de comédia (por Nurse Jackie, em 2013) e atriz coadjuvante de minissérie (Godless, em 2018). No drama zumbi The Walking Dead, Merrit interpretou a médica Denise Cloyd, par romântico da Tara (Alanna Masterson).

Enquanto isso, Gwendoline Christie recentemente deu o ar da graça na pele de Lúcifer em Sandman, produção da Netflix. Ela vai aparecer na aguardada série Wandinha, também da gigante do streaming, a ser lançada em novembro.

Em Game of Thrones, Gwendoline Christie viveu a guerreira Brienne of Tarth, uma das personagens mais queridas dos fãs. Por esse trabalho, a atriz foi indicada ao Emmy e ao Critics Choice. Outro papel de destaque no mundo das séries é o da policial Miranda em Top of The Lake: China Girl, onde contracenou com Elisabeth Moss.

Juntam-se às duas atrizes em Ruptura: Bob Balaban (Friends, The Chair), Robby Benson, Stefano Carannante, John Noble (Fringe), Ólafur Darri Ólafsson (The Tourist) e Alia Shawkat (The Old Man).

Indicada 14 vezes ao Emmy deste ano, vencedora de duas estatuetas (composição musical e vinheta de abertura), Ruptura apresenta uma premissa provocante: Que tal você poder apagar as memórias do trabalho e não levar os problemas do emprego para casa, e vice-versa? No mundo da série, isso é possível por causa de um implante colocado no cérebro.

O público vê os funcionários de uma empresa, chamada Lumon Industries, vivendo esse experimento surreal. Realmente, assim que entram no escritório, nenhum deles se lembra do que viveu do lado de fora. São oito horas concentradas em uma função burocrática.

A segunda temporada de Ruptura ainda não tem previsão de estreia.

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!