MAIS ENGAJAMENTO

Análise: Você prova que série da Netflix pode sim ser alimentada por teorias

Impacto da nova narrativa seria bem menor com todos os episódios lançados de uma vez só
DIVULGAÇÃO/NETFLIX
Penn Badgley na quarta temporada de Você
Penn Badgley na quarta temporada de Você

Joe e Rhys são a mesma pessoa? Love está viva? Essas são apenas duas de tantas teorias que movimentam a quarta temporada de Você, que retorna com os cinco episódios finais na quinta-feira (9). O debate intenso sobre o desenrolar da trama só é possível porque a Netflix fez um teste com a série, abandonando o esquema de lançamento tradicional (todos os episódios de uma vez só) e apostando em uma divisão mensal.

Sem dúvida, o impacto da aparição de Love (Victoria Pedretti) na quarta temporada de Você seria reduzido a quase zero no modelo Netflix de lançar séries. Desde a divulgação do trailer da segunda metade da atual leva, quando a ex-mulher de Joe (Penn Badgley) deu às caras, criou-se teorias: mas ela não morreu na temporada anterior? A aparição dela é real ou um sonho?

Esse tipo de conversa é bem legal de se ter, pois engaja ainda mais os fãs e aumenta a expectativa pela chegada de novos episódios. Isso acontece direto em séries com estreias semanais, quando se discute durante seis dias o passado e o futuro da trama, até a chegada do novo capítulo. E o ciclo se repete.

Ao longo dos últimos dez anos, muitas revelações de impacto de atrações da Netflix tiveram o alcance diminuído pela tática de soltar todos os episódios de uma vez só. Tal modelo não favorece o prazer de dissecar determinada narrativa e explorar os acontecimentos. O único proveito é terminar de ver a temporada o quanto antes, engatando um capítulo após o outro, prática que estraga a experiência de acompanhar ao máximo a história de uma série.

Victoria Pedretti na 4ª temporada de Você
Victoria Pedretti na 4ª temporada de Você

Nitidamente, a Netflix acertou com essa divisão da quarta temporada de Você. Textos sobre teorias povoam a internet. Fãs debatem, em fóruns online e redes sociais, as possibilidades de avanço da trama, analisando a narrativa por todos os ângulos. Fica só a dúvida se a gigante do streaming vai repetir o plano com outras atrações.

Stranger Things seria o próximo experimento ideal. A produção ícone da Netflix tem conteúdo para gerar inúmeras teorias e movimentar ainda mais as conversas sobre a série. No mínimo, poderia ser feita uma divisão igual à de Você: quinta e última temporada separada pela metade.

Claro que tem séries que funcionam bem no modelo todos os episódios de uma vez só, como comédias ou dramas tipo Bridgerton e Virgin River. Mas com atrações similares a Você e Stranger Things, vale lançar uma temporada fracionada, pois rende melhor.

Você tem dezenas de teorias debatidas: seria Phoebe a serial killer da vez? Kate está ajudando Rhys? É tudo brisa da imaginação de Joe? Na verdade, aquilo é parte de livro estilo quem matou escrito por Joe? Joe tem múltiplas personalidades?

As respostas vão ser dadas nos cinco capítulos finais da quarta temporada de Você.


Acompanhe o Diário de Séries no Google Notícias.

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!