MERCADO

Paramount+ é o streaming que menos consegue reter assinantes, diz estudo

Espectadores optam por cancelar o serviço após um único mês de assinatura
DIVULGAÇÃO/PARAMOUNT
Kelly Reilly com Kevin Costner na 5ª temporada de Yellowstone
Kelly Reilly com Kevin Costner na 5ª temporada de Yellowstone

O streaming Paramount+ é o que menos consegue reter assinantes. É o que aponta um levantamento feito pela Samba TV, analisando o comportamento de telespectadores nos Estados Unidos durante o segundo semestre de 2022. O resultado casa com a nova estratégia do grupo Paramount Global, dono do streaming, de investir pesado em spin-offs de séries populares, estratégia que visa manter clientes por mais tempo na plataforma.

Segundo o estudo da Samba TV, 18% dos domicílios nos EUA acessaram o Paramount+ durante apenas um único mês. A tática é usada por muitas pessoas, que assinam um streaming menos badalado, veem a atração que desejam no modo maratona e depois cancelam o serviço.

O Apple TV+ aparece logo atrás (16%), seguido pela HBO Max. Os dois streamings com catálogos mais amplos e ofertas variadas de atração surgem no final desse ranking: Prime Video (2%) e Netflix (1%).

Uma conversa predominante no mercado dos streamings gira em torno de como reter o assinante. Ou seja, o que precisa ser feito para que uma pessoa continue pagando uma mensalidade para acessar determinada plataforma. Uma alternativa é fugir desse modelo e oferecer descontos atrativos para que o cliente pague um único valor anual. 

Outro ponto é investir em competições esportivas, como o Paramount+ faz tanto nos EUA quanto no Brasil (Libertadores, a partir deste ano). A tendência, nesse caso, é que o novo assinante acompanhe o campeonato em questão até o final. Isso resulta em meses e meses de retenção.

No quesito das séries, uma saída adotada é apostar em franquias. Pegando um exemplo do próprio Paramount+. Yellowstone é o grande atrativo da plataforma, a série líder de audiência nos EUA. Quando se lança um spin-off, para ser exibido após a trama mãe, o objetivo é atrair o mesmo público por mais alguns meses.

Dentro do universo Yellowstone, primeiro veio 1883, uma minissérie. Agora, está disponível 1923, lançada entre a primeira e segunda partes da quinta temporada do drama matriz. E mais quatro spin-offs ambientados no mesmo mundo faroeste estão em desenvolvimento.

O ideal é ter séries derivadas de uma importante atração espalhadas durante todo o ano, de olho na retenção de assinantes. Por isso que o conglomerado Paramount, só de Billions, planeja fazer quatro spin-offs. E Dexter, outra produção popular do grupo, está com duas atrações derivadas engatilhadas.

A Samba TV fez a pesquisa com 2.505 adultos em todos os EUA, levando em conta os mais diversos critérios de idade, gênero, raça, renda e etc. O instituto usa uma tecnologia presente em mais de 3 milhões de TVs conectadas no país.


Acompanhe o Diário de Séries no Google Notícias.

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!