NO PARAMOUNT+

Crítica: Jon Bernthal é o ator perfeito para a série Gigolô Americano

Ex-The Walking Dead está confortável na pele de personagem que um dia foi de Richard Gere
DIVULGAÇÃO/PARAMOUNT
O ator Jon Bernthal em Gigolô Americano
O ator Jon Bernthal em Gigolô Americano

Na tela, é evidente que Jon Bernthal nada se parece com Richard Gere. A pinta de galã de cada um é bem distinta. Até por isso soou estranho quando o primeiro foi escalado para ser o protagonista da série Gigolô Americano (Paramount+), adaptação de filme estrelado pelo segundo. Contudo, percebe-se que a contratação de Bernthal foi certeira.

A combinação tornou-se ideal pelas camadas mais densas dadas à série em comparação ao filme, embora o alicerce seja o mesmo. O personagem central é um garoto de programa que, indiretamente, acaba se envolvendo em um assassinato. Ele não executou o crime, percebe a armação e procura descobrir quem está por trás desse plano mórbido.

Na série, o protagonista ganhou um “e” no final do sobrenome: Julian Kaye. Como há mais tempo de cena, a narrativa mergulha com profundidade no mundo desse prostituto, mostrando a infância conturbada, onde sofreu abusos sexuais, a vida na prisão e o trabalho de ser o companheiro ideal para mulheres que lhe pagam, assumindo o papel que desejam.

Em um primeiro instante, é difícil conceber que o Shane de The Walking Dead, o Justiceiro da Marvel, o pai do Tony Soprano e o policial corrupto Wayne de A Cidade é Nossa possa acertar em cheio a interpretação de um gigolô sedutor. Foi exatamente isso que Jon Bernthal fez.

O ator tem um charme especial e isso fica claro nas cenas em que incorpora o acompanhante, seja apenas para conversar ou satisfazer os desejos sexuais das clientes. O alcance dele é testado nas outras facetas do personagem, como quando está com alguém que realmente gosta, ao viver atrás das grades por um crime que não cometeu ou nos passos longe de tudo, quando precisa lidar com o eu interior.

Vale dar o mérito a quem permitiu isso, quem criou um personagem bem amplo e desafiador. A adaptação de Gigolô Americano para a TV foi dada a David Hollander, roteirista que foi showrunner do impagável drama Ray Donovan. Lá, ele construiu um personagem denso e cativante dentro de um ambiente hostil.

É muito cedo para dizer onde colocar Gigolô Americano na lista dos melhores trabalhos de Jon Bernthal (A Cidade É Nossa, lançada recentemente pela HBO, está no topo). Contudo, é inegável que o casamento foi perfeito e o ator encarnou muito bem o espírito do personagem. Seguindo assim, será uma atuação a ser lembrada por muito tempo.

Veja o trailer, dublado, de Gigolô Americano:

O Paramount+ lança episódios inéditos de Gigolô Americano todo sábado. A série estreou no último dia 10; são oito capítulos no total.

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!