ILEGALIDADE

A Casa do Dragão ou Os Anéis de Poder: qual série foi a mais pirateada em 2022?

Uma atração de herói se intrometeu nessa briga; confira
DIVULGAÇÃO/HBO/PRIME VIDEO
Matt Smith em A Casa do Dragão; Morfydd Clark em Os Anéis de Poder
Matt Smith em A Casa do Dragão; Morfydd Clark em Os Anéis de Poder

Faça uma aposta rápida: entre A Casa do Dragão (HBO) e Os Anéis de Poder (Prime Video), qual série você acha que foi a mais pirateada em 2022? Segundo dados da Muso, instituto de pesquisa londrino especializado em mensurar o consumo ilegal de conteúdo online, A Casa do Dragão ficou com o título de série mais pirateada no ano passado, repetindo o que a atração mãe, Game of Thrones, alcançou com frequência quando estava no ar.

O levantamento leva em conta a pirataria nos Estados Unidos. Se você escolheu Os Anéis de Poder, saiba que o drama do Prime Video, prelúdio de O Senhor dos Anéis, ficou em terceiro lugar. No meio das duas atrações fantasiosas apareceu Cavaleiro da Lua (Disney+), minissérie da Marvel protagonizada por Oscar Isaac.

A Casa do Dragão ficou muito na frente, com 17% da parcela de atrações televisivas mais pirateadas. Na segunda posição (entre as séries), Cavaleiro da Lua abocanhou uma fatia de 9%, com Os Anéis de Poder mordendo 7% do bolo.

Uma observação interessante de ser feita sobre esse levantamento da Muso é que nenhuma série da Netflix marcou presença entre as preferidas dos piratas online. E se, ao mesmo tempo, for analisado o ranking de audiência oficial, da Nielsen, nota-se que nove das dez séries líderes no ibope nos streamings foram da Netflix, em 2022. Por que isso aconteceu?

O que pode explicar essa ausência da Netflix no universo dos torrents e afins é que a pirataria mais comum na plataforma é o compartilhamento de senha. As pessoas priorizam o uso desse método para ver as séries do tudum, ao invés de investir tempo em downloads ou streams ilegais.

A Netflix sabe desse problema crônico, chegando a um número impressionante. Segundo análise da própria empresa, mais de 100 milhões de domicílios no mundo inteiro acessam a Netflix de forma ilegal. Por isso que várias medidas vão ser tomadas para frear essa prática, que essencialmente fere os termos de uso da plataforma. 

E, de tabela, a companhia projeta lucrar ao oferecer planos de baixo custo para quem compartilha a senha para pessoas que não estão no domicílio do titular da conta.


Acompanhe o Diário de Séries no Google Notícias.

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!