TÚNEL DO TEMPO

The D.A., a série americana com Bruno Campos cancelada após 4 episódios

Ator carioca foi sinônimo de Brasil em Hollywood nos anos 2000; hoje é advogado
DIVULGAÇÃO/ABC
Sarah Paulson, Steven Weber e Bruno Campos em pôster da série The D.A.
Sarah Paulson, Steven Weber e Bruno Campos em pôster da série The D.A.

Nos anos 2000, Bruno Campos surgia como nome referência quando o assunto era atores brasileiros em Hollywood. Em 2004, porém, ele fez parte integral de um drama jurídico que fracassou. O papel interpretado, por coisas do destino, serviu de impulso para sua atual carreira longe da indústria de entretenimento americana, como advogado em uma das maiores firmas de Nova York.

Há 20 anos, a rede ABC lançou The D.A., série ambientada no mundo da advocacia que flopou assim que entrou no ar. Avaliada pelos críticos como apenas mais um drama jurídico, sem nada de especial, a atração foi cancelada à jato, após a exibição de apenas quatro episódios.

Bruno Campos contracenou com nomes de peso da TV americana tipo Steven Weber (Chicago Med), Michaela Conlin (Bones) J. K. Simmons (Oz) e Sarah Paulson (American Crime Story). The D.A. misturava política com direito, tendo no centro da história um promotor público ambicioso com desejo de virar governador da Califórnia (EUA).

O ator carioca interpretou o idealista Mark Camacho, novo procurador em Los Angeles, filho de um deputado assassinado, que entrou em choque com David Franks (Weber). Na curta narrativa, Camacho precisava decidir de qual lado da Justiça estaria.

A rede ABC, antevendo uma prática bastante comum do futuro, tentou contornar o fracasso de The D.A. vendendo que a série não foi cancelada, que a ideia inicial sempre foi uma minissérie de quatro episódios. O que, na prática, não era verdade. A série simplesmente não se distinguiu, sem conseguir escapar da mesmice na busca por uma jornada de longo prazo.

Retrato oficial de Bruno Campos na firma Covington & Burling
Retrato oficial de Bruno Campos na firma Covington & Burling

Ator virou advogado

Para viver o procurador Mark Camacho, Bruno Campos fez aquela tradicional pesquisa com advogados da vida real. Foram conversas com mais de dez profissionais do direito, plantando nele uma semente que iria brotar, em sua plenitude, uma década depois.

A carreira de Campos como ator começou em 1995, no longa brasileiro O Quatrilho, indicado ao Oscar na categoria de melhor filme estrangeiro. Seu primeiro passo na TV americana foi dado três anos depois, na sitcom Cybill. Sua carreira por lá durou até 2010, acumulando atuações em séries do nível de Plantão Médico, Will & Grace, Boston Legal, Nip/Tuck, Castle, Private Practice, CSI, entre outras.

Em 2013, aos 39 anos, veio o diploma de Doutor em Direito pela Universidade de Michigan. Daí, se deu início a uma nova carreira, agora como advogado de verdade, deixando o mundo da ficção para trás.

Autorizado a praticar advocacia, Bruno Campos se deu bem nessa nova empreitada. Atualmente, integra o time de associados da Covington & Burling LLP, um dos principais e maiores escritórios de Nova York. Sua especialidade é representar clientes envolvidos em questões com seguradoras ou recuperação de seguros.


Siga o Diário de Séries no WhatsApp

Acompanhe o Diário de Séries no Google Notícias

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!