MAGIA DA TV

Saiba por que Griselda, ambientada em Miami, foi gravada em Los Angeles

Minissérie da Netflix contou com uma direção de arte bastante detalhista
DIVULGAÇÃO/NETFLIX
Cena de Griselda; Los Angeles virou Miami
Cena de Griselda; Los Angeles virou Miami

Aquela magia da TV faz parte do núcleo de Griselda, nova minissérie da Netflix sobre a narcotraficante Griselda Blanco, interpretada por Sofia Vergara. Apesar de ser ambientada em Miami, onde A Madrinha montou seu império da cocaína durante os anos 1970 e 1980, a produção teve de usar Los Angeles como pano de fundo e fazer a cidade californiana ficar parecida com a região da Flórida de meio século atrás. A equipe criativa de Griselda explicou porque isso precisou ser feito.

“Não pudemos ir a Miami, porque a Miami de hoje não se parece em nada com a Miami pré-explosão de cocaína [nos anos 70 e 80], onde nossa história se passa”, disse Eric Newman, produtor-executivo de Griselda, em entrevista para a Netflix. “Então, tivemos que recriá-la em Los Angeles, e fomos muito meticulosos com isso.”

A ironia é que a série Griselda teve de ir até Los Angeles para fazer uma Miami retrô. “Autenticidade é tudo para nós”, ressaltou.

Ao contrário da Miami atual, muitas áreas em Los Angeles do passado estão preservadas. Contar com o Oceano por perto ajudou, além do fato de ter sido possível economizar um bom dinheiro nessas locações que pararam no tempo, diferentemente do que ocorreria com as gravações em Miami.

Um fator extra que ajudou essa ambientação de Griselda foi a coincidência de ter uma pessoa criada em Miami, Armando Salas, trabalhando como diretor de fotografia. Ele soube criar a ilusão certa, fazendo até o céu se parecer com o cidade da Flórida (via efeitos especiais). 

Knut Loewe (designer de produção) e o diretor Andrés Baiz fizeram um tour em Los Angeles de olho em todo tipo de imóvel vintage para ser adaptado na minissérie, indo de mansões até o hotel de quinta categoria que Griselda e sua trupe ficaram durante a primeira etapa da estadia da Chefa nos Estados Unidos.

Aquele hotel está situado em Long Beach, área praiana ao sul de Los Angeles. A parte interna foi replicada em estúdio, mas cenas externas foram realizadas no local mesmo. Truques como papéis de parede e plantas deram um ar de Miami ao recinto, tomando como inspiração a decoração doméstica trazida de imigrantes caribenhos e latino-americanos à península americana.

Por sua vez, a primeira casa que Griselda comprou, onde suas parceiras colombianas moravam junto com a família dela, já foi sede de um asilo e um hospital.

O Hotel Mutiny, point de encontro dos traficantes de Miami, existiu de verdade. Contudo, a produção utilizou dois lugares diferentes na Califórnia para gravar as cenas do interior, como a boate, e do exterior. O elemento de ligação entre os dois espaços foi o teto de vidro do clube, que a equipe de Loewe precisou construir duas vezes.

“Tivemos bastante liberdade com o Mutiny porque era um clube exclusivo, apenas para membros”, contou Kim Leonard, responsável pela decoração dos sets. “Não há muitas evidências que mostram como era sua exata aparência. Tínhamos uma ideia de como poderia ser, a vibe excessiva de Miami durante aquele período, e elevamos a potência”.

Leia mais sobre Griselda

Conheça a história real: quem foi Griselda Blanco

Veja o trabalho de maquiagem feito em Sofia Vergara


Siga o Diário de Séries no WhatsApp

Acompanhe o Diário de Séries no Google Notícias

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!