REVOLUCIONÁRIO

Primeiro drama da HBO, Oz entra no catálogo do Paramount+

Exibida pela HBO, a série pertence ao grupo Paramount Global
DIVULGAÇÃO/HBO
Harold Perrineau durante episódio de Oz
Harold Perrineau durante episódio de Oz

Drama prisional que revolucionou (sem exagero) a maneira de se fazer uma série, Oz (1997-2003) entrou nesta segunda-feira (12) no streaming Paramount+ com as duas primeiras temporadas (de seis). Curiosamente, trata-se do primeiro drama feito pela HBO nos 50 anos de história do canal. Porém, devido a contratos e questões de negócios, a produção é lançada na plataforma do grupo Paramount ao invés da HBO Max, do conglomerado Warner Bros. Discovery, dono da HBO.

Tal como a Netflix no começo da investida no mundo das séries, a HBO deu o primeiro passo nesse ramo firmando parceria com estúdio terceirizado. No caso, Oz foi produzida pela Viacom. E a distribuição internacional ficou com a CBS Studios. Após idas e vindas, junções e separações, Viacom e CBS formam a mesma empresa, atualmente chamada de Paramount Global (ex-ViacomCBS).

Na época, Oz era exibida normalmente no canal HBO. Chegou a ser atração do SBT, nas madrugadas, mesmo com muito sangue, violência extrema e até nudez frontal. Com a popularização dos streamings, Oz foi jogada no vácuo por causa de contratos e afins. Agora, após muita demora, encontrou um lar.

Oz absolutamente firmou o alicerce de tudo o que é feito nas séries desde então, o que parece ser outro gênero se comparada às atrações de meados dos anos 1990 para trás, predominantemente realizadas pelas emissoras de sinal aberto da TV americana. Ou seja, eram muito menos ousadas devido à censura e obediência de limites.

A narrativa acompanhou a vida de condenados dentro de um presídio. Oz quebrou os padrões tanto de dramas da TV como das histórias ambientadas atrás das grades. Os personagens eram diversificados, com latinos, mulheres, pretos, cadeirantes e homossexuais entre eles. 

Iniciou-se ali a exploração do anti-herói, com as jornadas redentoras dos presos, humanizando os criminosos. Tudo isso só foi possível porque a HBO deu total liberdade criativa para Tom Fontana, o showrunner. Ambos assumiram um baita risco e acabaram entrando para a história, com uma série inovadora e sem igual, nem antes nem depois.


Acompanhe o Diário de Séries no Google Notícias.

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!