REPRESENTATIVIDADE

Companheiros de Viagem e a importância de atores gays viverem romance gay na TV

Matt Bomer e Jonathan Bailey falam sobre a experiência única oferecida pela série
DIVULGAÇÃO/SHOWTIME
Matt Bomer (à esq.) e Jonathan Bailey em pôster de Companheiros de Viagem
Matt Bomer (à esq.) e Jonathan Bailey em pôster de Companheiros de Viagem

Astro de Companheiros de Viagem (Paramount+), Matt Bomer duvidou até o último minuto. Ele não botava fé que realmente havia interesse de uma grande vitrine da TV, como o canal americano Showtime, de fazer uma série protagonizada por atores gays vivendo um romance gay completo e genuíno, lotado de cenas emocionantes e picantes

Famoso por dramas elogiados como White Collar e The Sinner, Matt Bomer tem larga experiência no mundo do entretenimento. Durante entrevista à revista The Hollywood Reporter, ele foi sincero ao responder se em algum momento da carreira pensou que algo como Companheiros de Viagem pudesse existir.

“Honestamente, não”, disse um direto e sucinto Bomer. “Sou grato pelos tomadores de decisões que investiram dinheiro na série e deram essa oportunidade. Foi nos dada a chance de contar uma história da maneira que precisava ser feita.”

Baseada no livro Fellow Travelers, inédito em território tupiniquim, Companheiros de Viagem narra um romance entre dois homens que escondem a própria homossexualidade por diversos fatores. A começar por causa do ambiente no qual circulam, o da política americana durante períodos de repressão e ataques homofóbicos explícitos, entre os anos 1950 e 1980.

Matt Bomer interpreta o carismático Hawkins Fuller, que mantém uma carreira financeiramente estável e gratificante trabalhando nos bastidores da política dos Estados Unidos. Ele evita se envolver emocionalmente até conhecer Tim Laughlin (Jonathan Bailey), jovem repleto de idealismo e fé religiosa.

Leia no Diário de Séries: [Crítica] Companheiros de Viagem mescla XVideos gay com aulas de história

Na mesma entrevista, Bailey foi mais a fundo ao comentar sobre o peso de uma série desse calibre ter o protagonismo de atores gays: “Pessoas que hoje estão em posições nas quais tomam decisões são as responsáveis por isso, do criador aos produtores-executivos. Eles trabalharam para superar essas questões [de protagonistas gays formando um casal gay na TV].”

Os personagens gays são tão ricos, brilhantes, oprimidos, complicados e alegres”, continuou Bailey. “Então, é claro que pessoas [homens cis] querem interpretá-los.”

Ele apontou que Companheiros de Viagem chegou como uma ótima oportunidade de oferecer um estudo didático sobre “dois personagens gays que são opostos. Qual a melhor maneira de concretizar isso senão com gays interpretando-os?”

Bailey mostrou-se a favor de que qualquer ator, não importando sua orientação sexual, pode sim atuar na pele de qualquer personagem. “Mas acredito que deva existir um equilíbrio”, ressaltou. “E isso tem de ser dito e discutido. Pessoas estão aí trabalhando para criar um ambiente onde isso possa se concretizar da forma mais natural possível.”

Composta de oito episódios, a minissérie Companheiros de Viagem está disponível no Paramount+.


Siga o Diário de Séries no WhatsApp

Acompanhe o Diário de Séries no Google Notícias

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!