TRAMA PRIMOROSA

Análise: Stargirl supera depressão do cancelamento e termina no auge

Último episódio da série já está disponível na HBO Max
REPRODUÇÃO/THE CW
Brec Bassinger no episódio final de Stargirl
Brec Bassinger no episódio final de Stargirl

Com toda certeza, dá para afirmar que a notícia do cancelamento de Stargirl foi uma das mais dolorosas de 2022 (talvez a maior de todas). O último episódio da série já está disponível na HBO Max, despedida que amarra bem a história por causa de um cuidado prévio da equipe de produção. Nota-se claramente que havia muito potencial para Court (Brec Bassinger) e a Sociedade da Justiça da América seguir com mais aventuras. 

É a perda de uma série de herói do mais alto nível, sem dever nada para qualquer outra, inclusive aquelas produzidas pela Marvel para o Disney+. Stargirl combinou leveza de uma trama teen com uma qualidade cinematográfica de ponta, das lutas excelentes ao visual estiloso dos episódios. Foi uma narrativa de herói na mais pura definição, unindo personalidades distintas no combate ao mal.

Em um mundo no qual séries saem do ar a todo instante, muitas sem ter a chance de encerrar a história adequadamente, Stargirl pode se sentir privilegiada. Contudo, isso tem de ser colocado na conta dos roteiristas e produtores, que traçaram uma narrativa na terceira temporada, batizada de Frenemies, pensando em uma conclusão (caso fosse cancelada) e em uma continuidade (se ganhasse a encomenda de novos episódios).

Eles souberam de antemão sobre o cancelamento, anunciado pela rede americana The CW em outubro, recebendo dessa forma a oportunidade de gravar a conclusão da série. E assim foi feito, fazendo Stargirl cruzar a linha de chegada redondinha e coesa.

Elevando a dramaticidade nos últimos passos, Stargirl soltou uma reviravolta realmente surpreendente durante os episódios finais, o que melhorou ainda mais a trama, consequentemente aumentando a empolgação para o desfecho. Em pleno auge, os roteiristas colocaram o ponto final.

Os méritos de Stargirl

Stargirl está lotada de méritos. Um deles é a simplicidade do todo. A atração é recheada de mensagens positivas, apelando à generosidade, dar outra oportunidade a quem errou. Tem o embate clássico de mocinhos versus vilões sem repetir fórmulas batidas, trazendo algo novo sempre. O didatismo da narrativa, sem muita brisa nas ideias, ajuda na experiência de acompanhar Stargirl com tranquilidade.

Com o título de Frenemies, expressão que junta as palavras friends (amigos) com enemies (inimigos), Stargirl movimentou a história com intensidade ao colocar todos os personagens principais nessa encruzilhada. Quem ali realmente está a favor ou contra o lado do bem? Para apimentar esse caldeirão foi adicionado o ingrediente da segunda chance.

Stargirl está na lista das séries da HBO Max que merecem ser vistas, isto enquanto estiver firme e forte no catálogo, escapando da carnificina ativa no streaming. O alento para os fãs, aos que estão desde o começo ou recém-chegados, é que a atração teve a oportunidade de fazer um final fechado, ao contrário de outras tantas. Resta apreciar o que foi feito e guardá-la na memória, com carinho.


Acompanhe o Diário de Séries no Google Notícias.

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!