ANÁLISE

Por que The Marvelous Mrs. Maisel é a melhor série da história do Prime Video?

Comédia prestigiada acumula vitórias no circuito de premiações de Hollywood
DIVULGAÇÃO/PRIME VIDEO
Rachel Brosnahan na 5ª temporada de The Marvelous Mrs. Maisel
Rachel Brosnahan na 5ª temporada de The Marvelous Mrs. Maisel

O começo do fim de The Marvelous Mrs. Maisel se dá a partir desta sexta-feira (14), com o lançamento da quinta e última temporada da comédia, que é a melhor série da história do Prime Video. A atração preenche todos os requisitos: charmosa e politizada; premiadíssima e aclamada; tem elenco de primeira linha e produção impecável. Sem esquecer, claro, o fato de ser essencialmente engraçada e divertida.

The Marvelous Mrs. Maisel surgiu em um período no qual a Amazon ainda buscava se firmar no mercado dos streamings, embora já tivesse apresentado um cartão de visita destacado, a série Transparent. 

Em 2016, o Prime Video nem era conhecido por esse nome somente, vinha atrelado à marca Amazon, comia poeira da Netflix e buscava se livrar do rótulo de ser uma plataforma cujo catálogo parecia vir de uma locadora do século passado.

A encomenda do piloto (primeiro episódio) da comédia veio naquele ano; a estreia foi em 2017. O streaming da Amazon queria soltar uma série prestigiada, popular e bem avaliada, conseguindo agradar público e mídia, atingindo ao mesmo tempo relevância no circuito de premiação hollywoodiano. E foi exatamente isso que aconteceu.

Rachel Brosnahan na 5ª temporada de The Marvelous Mrs. Maisel
Rachel Brosnahan na 5ª temporada de The Marvelous Mrs. Maisel

O alicerce de The Marvelous Mrs. Maisel

Criada por Amy Sherman-Palladino, a mesma de Gilmore Girls, The Marvelous Mrs. Maisel só alcançou o topo por ter uma base sólida. A trama acompanha Miriam “Midge” Maisel (Rachel Brosnahan), uma dondoca em pleno anos 1950 que, após separação escandalosa do marido, resolve se aventurar no mundo da comédia stand-up em Nova York.

Amy não tinha grandes pretensões com a série. Embora a conclusão seja na quinta temporada, período ideal para o encerramento de atrações televisivas, o objetivo era ao menos chegar na segunda temporada. O ponto final, contudo, ela concebeu antes mesmo da gravação do piloto.

Em meados da década passada, a Amazon tinha a prática de analisar o primeiro episódio (piloto) de uma série antes de aprová-la, copiando o modelo tradicional da TV aberta americana. Os executivos gostaram tanto do que viram que logo de cara encomendaram duas temporadas.

O diferencial da série é falar da comédia stand-up nos anos 1950 e 1960 pela perspectiva feminina. Naquela época, eram poucas as mulheres que se aventuraram nesse meio, mas elas existiam. 

Assim, a narrativa tem mais apelo do que se fosse um homem como protagonista. Desde sempre, a comédia stand-up nunca foi vista como uma ocupação feminina, ainda mais no meio do século 20. Para uma mulher ser bem sucedida na profissão precisaria de um combo fantástico, contando com sorte, coragem… e, obviamente, talento.

Midge enfrenta perrengues ao longo das temporadas de The Marvelous Mrs. Maisel. Indiscutivelmente ela é boa no que fez, porém o sistema a reprime por ser mulher. Entretanto, a resiliência impera e ela segue em frente. 

Há um detalhe que resume bem a sua jornada. Como diz a sinopse da quinta e última leva: “Midge encontra-se mais perto do que nunca do sucesso com o qual sempre sonhou. Porém, logo vai perceber que mais perto do que nunca ainda é muito longe…

Rachel Brosnahan com a estatueta do Emmy que venceu em 2018
Rachel Brosnahan com a estatueta do Emmy que venceu em 2018

Todo tipo de prêmio na prateleira

Acabou que The Marvelous Mrs. Maisel concretizou o desejo da Amazon. Logo na primeira temporada foi um sucesso estrondoso e fez história, se tornando a primeira série de um streaming a vencer o Emmy de melhor comédia (em 2018).

Só como melhor comédia, a série arrebatou o Globo de Ouro, Critics Choice e SAG (elenco). Tem vitórias em várias cerimônias de sindicatos hollywoodianos, ganhando prêmios de direção de arte (ADG), mixagem de som (CAS), produção (PGA), escalação de elenco (Artios), maquiagem e penteado, roteiro (WGA), figurino (CDGA) e decoração (SDS).

Nenhuma série em dez anos de Prime Video chegou sequer perto de obter tantas conquistas.

Esse desempenho no circuito de premiações se repetiu no Emmy. Pelas quatro primeiras temporadas, The Marvelous Mrs. Maisel ganhou 20 estatuetas (de 60 indicações), incluindo melhor atriz (Rachel Brosnahan), atriz coadjuvante (Alex Borstein), ator coadjuvante (Tony Shalhoub), direção, escalação de elenco, roteiro, edição, supervisão musical, figurino, fotografia e penteado.


Acompanhe o Diário de Séries no Google Notícias.

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!