ESTÉTICA NOIR

Por que Ripley, nova minissérie da Netflix, é toda em preto e branco?

Liderado por Andrew Scott (Fleabag), drama de época estreia na quinta (4)
DIVULGAÇÃO/NETFLIX
Andrew Scott na minissérie Ripley
Andrew Scott na minissérie Ripley

Nova minissérie da Netflix, que estreia quinta-feira (4), Ripley apresenta um visual totalmente fora do padrão. Todas as cenas são em preto e branco, uma escolha proposital de Steven Zaillian (The Night Of), criador, diretor e roteirista da trama. A decisão ousada de gravar e produzir uma atração inteira misturando apenas duas cores tem uma razão de ser que é lógica, isso pelo ponto de vista do showrunner.

Ripley tem como base O Talentoso Ripley, publicado em 1955, primeiro livro da coleção escrita por Patricia Highsmith. Zaillian teve a inspiração incomum logo quando começou a escrever a adaptação televisiva. Entre outras coisas, ele imaginou como seria um filme feito sobre Ripley durante a época de lançamento da obra.

A cópia do livro que o showrunner leu serviu como a lâmpada que acendeu sobre a cabeça, sendo a origem da ideia. “A edição do livro de Ripley que eu tinha em minha mesa estampava uma evocativa fotografia em preto e branco na capa”, disse Zaillian, em entrevista à revista Vanity Fair. “Enquanto escrevia, guardei aquela imagem em minha mente. Preto e branco se encaixaram muito bem nessa história; e ficou lindo.”

A narrativa se passa durante os anos 1960, principalmente na Itália. O tom do enredo apresentado no livro e replicado na TV é sinistro, pesado… Dessa forma, o criador não conseguiu ver tal história se desenrolando em uma Itália ensolarada, de céu azul e roupas coloridas por todas as partes.

Como é de se imaginar, até pelo período no qual a minissérie Ripley está situada, a estética noir está bastante presente nos oito episódios. O uso expressivo de sombras e luzes é destaque na atração.

Confira a sinopse de Ripley: Tom Ripley (Andrew Scott) é um trambiqueiro de Nova York nos anos 1960 contratado por um homem muito rico para ir até a Itália e convencer seu filho a voltar para casa. Mas aceitar o trabalho foi só o começo de uma teia de trapaças, fraudes e assassinatos.

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!