DESTAQUE NO TOP 10

História real ou livro? Saiba a origem da série Uma Família Quase Perfeita

Produção sueca da Netflix chama a atenção pela trama muito bem contada
DIVULGAÇÃO/NETFLIX
Alexandra Tyrefors em Uma Família Quase Perfeita
Alexandra Tyrefors em Uma Família Quase Perfeita

A minissérie sueca Uma Família Quase Perfeita conseguiu beliscar um top 3 no concorrido ranking de audiência na Netflix brasileira com uma história sinistra e muito bem contada. No centro da trama está uma jovem que, como diz o título da atração, faz parte de uma família quase perfeita, filha única de mãe advogada e pai reverendo. O enredo ganha contorno trágico quando ela é presa suspeita de cometer um assassinato. Essa é uma atração baseada em história real, tem como base um livro ou é original?

Pode parecer um true crime, mas Uma Família Quase Perfeita é inspirada no livro homônimo de M.T. Edvardsson (A Nearly Normal Family, de 2018), inédito no Brasil. A resenha do jornal The New York Times resumiu bem a moral tanto do livro quanto da minissérie: “Os acordos que fazemos com nós mesmos para sermos as pessoas que acreditamos que nossos entes queridos esperam que sejamos.”

A sinopse do livro indica uma força que move a trama. Com essa acusação de assassinato, a família da trama percebe que não é o amor que os une, mas sim as mentiras.

Em Uma Família Quase Perfeita, Stella Sandell (Alexandra Tyrefors) é uma adolescente normal, que durante os tempos de ensino médio jogava handebol e vivia feliz. Tudo muda após passar por uma experiência traumática, aos 15 anos: foi estuprada por um treinador do time da escola. Embora ela tenha iniciado o flerte, Stella não queria a consumação do ato sexual.

O caso foi acobertado pelos próprios pais, o reverendo Adam (Björn Bengtsson) e a advogada Ulrika (Lo Kauppi). Ele queria prestar queixa na polícia, ela o convenceu do contrário. Isso porque, segundo a mãe, a filha não teria um caso forte porque ela não lutou contra o estupro, de acordo com as evidências médicas, como poderia ter feito. Esse caso ruiu a relação entre os três.

A série dá um salto para o futuro. Com 19 anos, Stella sequer tem o diploma do ensino médio. Enquanto jovens da mesma idade estão na universidade, ela trabalha em uma padaria, para desgosto da mãe. As duas nutrem uma relação ruidosa, com Ulrika sempre duvidando da própria filha. Enquanto que Adam faz vista grossa e aposta na inocência e ingenuidade de Stella, apesar de evidências mostrarem o oposto disso.

Cirúrgica, a história de Uma Família Quase Perfeita testa a moral de cada personagem. E daí surgem perguntas: temos o dever de defender a nossa família, custe o que custar? Como saber quem é realmente quem diz ser? E o que estamos dispostos a fazer para manter intactas as nossas vidas, tal como as conhecemos?

Gravada em locações na cidade de Lund (95 mil habitantes, na Suécia), onde a trama do livro se passa, a minissérie Uma Família Quase Perfeita é composta de seis episódios.


Siga o Diário de Séries no WhatsApp

Acompanhe o Diário de Séries no Google Notícias

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!