PRODUÇÃO NACIONAL

HBO inicia gravações de série sobre a epidemia da Aids no Brasil nos anos 80

Drama é baseado em história real sobre contrabando do medicamento AZT
DIVULGAÇÃO/HBO
Ícaro Silva (à esq.) com Bruna Linzmeyer e Johnny Massaro em nova série da HBO Brasil
Ícaro Silva (à esq.) com Bruna Linzmeyer e Johnny Massaro em nova série da HBO Brasil

A HBO iniciou as gravações da minissérie nacional Máscaras de Oxigênio (Não) Cairão Automaticamente, um retrato sobre a epidemia da Aids no Brasil na virada da década de 1980 para 1990. O drama, composto de cinco episódios, é baseado em histórias reais. O protagonismo é de Johnny Massaro (Filhos da Pátria), Ícaro Silva (Coisa Mais Linda) e Bruna Linzmeyer (Notícias Populares).

Em 1982, foi registrado o primeiro caso de Aids no Brasil, uma doença pouco conhecida até então e que afetou a vida de centenas de pessoas de todas as classes sociais. 

As pautas de liberdade em relação à expressão e orientação sexual estavam em alta na época, logo após a abertura política do país. Mas esta liberdade foi impactada pela chegada da doença, que no primeiro momento afetou principalmente homens homossexuais. Os infectados não tinham acesso a medicamentos para lutar pela vida, além de enfrentarem o medo e o preconceito.  

O Brasil saiu à frente na América Latina, sendo o primeiro país da região a começar os testes para detectar anticorpos para o HIV-1, causador da infecção, em 1987. No mesmo ano, foi publicado o primeiro estudo comprovando a eficácia do AZT, medicamento antirretroviral para pacientes com AIDS no mundo.

A trama de Máscaras de Oxigênio (Não) Cairão Automaticamente retrata a história de um grupo de comissários de bordo no Rio de Janeiro, liderados por um chefe de cabine gay e com HIV, que cria um esquema de contrabando de AZT para salvar vidas de pessoas com a infecção. Na época, o medicamento tinha venda proibida no país, mas era a única esperança para quem fosse diagnosticado, principalmente no estágio avançado da doença.

Ainda não há previsão de estreia da minissérie.


Siga o Diário de Séries no WhatsApp

Acompanhe o Diário de Séries no Google Notícias

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!