RESGATE

Globoplay resgata Mulher, série clássica da Globo dos anos 90

Relembre (ou conheça) a trama da produção médica que marcou época
IMAGENS: DIVULGAÇÃO/GLOBO
Patrícia Pillar no drama médico Mulher
Patrícia Pillar no drama médico Mulher

O Globoplay lançou, na última segunda-feira (4), o drama médico Mulher, série nacional clássica exibida originalmente nos anos de 1998 e 1999 e que marcou época na Globo. Composta de duas temporadas, com um total de 62 episódios, a narrativa retratou o trabalho de duas ginecologistas dedicadas e especializadas no atendimento da mulher, movidas pela missão de salvar vidas.

Mulher entrou no streaming da Globo como parte do projeto Resgate que, como diz o nome, recupera grandes atrações da emissora com significativa importância para o audiovisual brasileiro.

A montagem da trama do drama médico teve a expertise de Lynn Mamet, roteirista americana com passagem pela Law & Order original. 

Na parte mais técnica, de operação, a série adotou uma linha de produção igual a de programas feitos em película, com câmeras de cinema e processos de filmagem diferentes do normalmente utilizado pelos programas de TV. E o último episódio foi a primeira filmagem em alta definição da TV brasileira.

Cena do primeiro episódio de Mulher
Cena do primeiro episódio de Mulher

A trama de Mulher

No centro da história está a Clínica Machado de Alencar, com as médicas Marta (Eva Wilma) e Cristina (Patrícia Pillar) compartilhando os dramas e as dificuldades das pacientes.

Marta foi uma das primeiras mulheres a exercer a profissão de ginecologista e obstetra no Brasil. Por sua dedicação ao trabalho, é reconhecida por toda a comunidade médica no país. A personagem, conservadora e politicamente correta, é a responsável pela Clínica Machado de Alencar e julga todos os seus erros com muito rigor.

Já a jovem Cristina é médica dedicada e idealista, filha de uma tradicional família mineira e que sempre lutou por conta própria para realizar seus sonhos. A personagem alterna a competência da sua vida profissional com o caos da vida pessoal.

As duas se conheceram durante um voo para o Rio de Janeiro. No avião, uma jovem grávida de oito meses (Natália Lage) passa mal e as duas médicas têm que realizar o parto de emergência em plenos ares. Martha fica impressionada com a atuação de Cris e a convida para trabalhar na Clínica Machado de Alencar.

O cotidiano da clínica é movimentado pelas histórias dos funcionários e pacientes. Cada episódio compreende três histórias: uma central, mais forte; outra que lhe faz contraponto, em geral mais leve e cômica; e uma terceira, que se passa entre os personagens do elenco fixo.

Mulher abordou questões como gravidez na adolescência, aborto, eutanásia, síndrome de Down, frigidez, violência contra a mulher e câncer de mama. As histórias enfatizavam as relações humanas, a forma como as pessoas reagiam diante dos problemas. Alguns episódios trataram de temas com implicações sociais e psicológicas, como gravidez prematura, ameaça de demissão de mulheres grávidas, adultério, filhos perdidos e relacionamento entre mãe e filha.


Siga o Diário de Séries no WhatsApp

Acompanhe o Diário de Séries no Google Notícias

Siga nas redes

Fale conosco

Compartilhe sugestões de pauta, faça críticas e elogios, aponte erros… Enfim, sinta-se à vontade e fale diretamente com a redação do Diário de Séries. Mande um e-mail para:
contato@diariodeseries.com.br
magnifiercross
error: Conteúdo protegido!